De olho na A-2, Anderson Rosa analisa retorno do São Caetano aos treinos

 (31 de julho de 2020) – O Azulão retornou nesta semana aos treinos presenciais e, assim, se prepara para a continuação da Série A-2 do Campeonato Paulista. Porém, na sequência da competição, o elenco do São Caetano não espera por vida fácil.

Um dos destaques do Pequeno Gigante até a paralisação do Estadual, o meia Anderson Rosa analisou como o grupo dirigido por Alexandre Gallo encarou o período de treinos, longe do Anacleto Campanella, e como está sendo o retorno às atividades presenciais no estádio.

“A principal dificuldade é a readaptação. Mas a gente já vinha trabalhando em casa (treinos online) com o professor Elliot (preparador físico). Lógico que o trabalho online não é o ideal para a prática do futebol, mas ajudou bastante e nos manteve em atividade nesse período”, explicou.

Em sexto lugar na classificação geral, com 18 pontos, o São Caetano luta para permanecer no G-8 e garantir uma vaga no mata-mata da Série A-2. Diante disso, Anderson Rosa avaliou qual postura deverá ser adotada pelo Azulão no retorno do Campeonato Paulista.

“Antes da parada estávamos bem, após ter conquistado dois resultados importantes. Agora, é preciso manter esse bom desempenho para buscarmos a classificação e depois o acesso”, concluiu o meia.

Próximos jogos

O São Caetano terá como adversários nas partidas finais, da primeira fase da segunda divisão do Campeonato Paulista, os times do São Bernardo(casa), Votuporanguense(fora) e Audax(casa). Confrontos que ainda terão os seus dias e horários definidos.

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

De volta aos treinos presenciais, Azulão colhe frutos de trabalho realizado na paralisação

(30 de julho de 2020) – Depois de pausa obrigatória por causa da pandemia, o elenco do Azulão retomou aos treinos presenciais no início desta semana. Com isso, atividades foram intensificadas visando a participação do clube na Série A-2 do Campeonato Paulista.

Mas para que esse retorno aos treinos fosse feito da melhor maneira possível, existiu todo um planejamento estabelecido entre comissão técnica e jogadores, como explica o preparador físico Elliot Paes.

“Não podemos deixar de citar o grande trabalho que foi feito desde a saída dos atletas até esse retorno. Foram realizados trabalhos diários e reuniões online, durante duas vezes por semana, além do acompanhamento feito em cima das atividades dos jogadores nos fins de semana”, disse Paes antes de exemplificar. “Acompanhamos diariamente (os treinos) desses atletas, tendo uma percepção subjetiva de como eles estavam se sentindo no dia a dia. Mesmo tendo que fazer vários ajustes (nos trabalhos) no período”, explicou.

Responsável por comandar a preparação física do São Caetano ao lado de Edson Sanguinete, Elliot Paes ainda destacou qual o tipo de treinamento que está sendo aplicado nessas atividades iniciais.

“O principal neste início é respeitar as individualidades. Saber que cada jogador está em um nível diferente. O trabalho será muito mais técnico do que físico. Ou seja, pensar muito mais na questão da bola e interagir na parte técnica e física”, contou o profissional.

Situação

Em sexto lugar na classificação geral da Série A-2 do Campeonato Paulista, o São Caetano volta a campo nesta competição para enfrentar o São Bernardo, no Anacleto Campanella. Em confronto que ainda terá a sua data definida.

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

 

NOTA OFICIAL-RESULTADO DOS TESTES

(29 de julho de 2020)- A Associação Desportiva São Caetano informa que, após realizar os exames de PCR em todos os atletas, membros da comissão técnica e funcionários, apenas dois jogadores foram diagnosticados com Covid-19.

Ambos já estão afastados e isolados do restante do grupo até a realização de novos exames.

Treino

O elenco do Azulão realizou na tarde desta quarta-feira, no Anacleto Campanella, o seu primeiro treino desde que as atividades foram retomadas de maneira presencial. O time azulino fez na oportunidade um trabalho físico/técnico visando a retomada da Série A-2 do Campeonato Paulista.

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

 

 

Gramado do Anacleto Campanella passa por adequações para retorno do Campeonato Paulista

(28 de julho de 2020) – Em breve, o São Caetano estará em campo novamente. Pensando nisso, todos os detalhes estão sendo pensados para que os atletas do Pequeno Gigante possam ter o melhor desempenho quando as competições forem retomadas.

Com o gramado do Anacleto Campanella não é diferente. Tanto que um time de primeira formado pelo Ângelo (Tetê), Adriano, Diomedes e Edvan cuida diariamente do palco ocupado pelos nossos craques.

A principal novidade, neste retorno aos treinos presenciais, está na redução do tamanho do campo. Que passou de 110 para 105 metros de comprimento e de 74 para 68 metros de largura, processo esse realizado para se adequar ao padrão estabelecido pela FIFA.

Mas as novidades não se encerram por aí. Como explica o senhor Ângelo, o Tetê, como é conhecido um dos responsáveis por essas adaptações.

“Foi feito o parapeito, atrás dos gols, pois é algo que a polícia exige. A grama foi cortada com o corte vertical e agora estamos arrumando a irrigação”, contou.

Também responsável pelas adequações que estão sendo feitas no gramado do Anacleto Campanella, Adriano falou sobre a determinação dos funcionários para que o São Caetano possa alcançar os seus objetivos na temporada.

“Estamos vestindo a camisa do clube. Queremos ajudar a recolocar o São Caetano no seu devido lugar. Todo esse trabalho é algo satisfatório. O São Caetano só tem a crescer com ele. O que for do nosso alcance vai ser feito para ter um gramado nota mil para os nossos atletas”, afirmou o profissional.

CAMPANHA

Após 12 jogos o Pequeno Gigante está em sexto lugar na classificação geral da Série A-2, com 18 pontos conquistados. Além da participação no Estadual, o São Caetano também está na Série D do Brasileiro, direito que garantiu ao vencer a Copa Paulista em 2019.

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

Rafinha reforça Azulão na sequência da temporada

Artilheiro da Copa São Paulo pelo São Bernardo, meia-atacante também possui passagens por Corinthians e Cruzeiro

(27 de julho de 2020) – O São Caetano já conta com um reforço para a sequência da temporada. Trata-se do meia Rafinha, que estava treinando no Anacleto Campanella desde o início do ano, mas que agora possui condições físicas de integrar o time comandado por Alexandre Gallo.

Revelado pelo São Bernardo, o jogador de 31 anos foi o grande destaque da Copa São Paulo de 2007. Semifinalista da Copinha pelo Tigre, o armador foi o artilheiro daquela competição ao marcar nove gols.

De volta ao futebol do ABC, onde também atuou pelo Santo André, Rafinha falou sobre as suas expectativas ao defender a camisa do Pequeno Gigante.

“Estou muito feliz com essa volta. Sou bem conhecido aqui no ABC. Estou muito preparado, então quero aproveitar cada chance para poder jogar”, disse o atleta, que ainda possui passagens por clubes como Cruzeiro, Corinthians e Caxias ao longo da carreira.

RETORNO

Sem atuar profissionalmente desde 2018, Rafinha encara a oportunidade de defender o São Caetano como um recomeço da carreira. Por isso, o meia-atacante agradeceu a nova chance recebida e falou sobre os preparativos para poder atuar novamente em grande nível.

“Cheguei um pouco acima do peso. Então, a diretoria me deu condições para treinar e abaixar este peso. Essa pandemia por um lado foi boa, pois tive oportunidade de trabalhar bastante e hoje estou preparado. A única coisa que preciso é de ritmo com bola. Fisicamente estou bem”, analisou.

Por fim, Rafinha ainda ressaltou as suas características e como pode ajudar o São Caetano nesta sequência da temporada.

“Eu gosto de jogar de armador, meia-atacante. Chegando sempre ao ataque. Sou um jogador que gosta de fazer muitos gols e oferecer assistências também.  Gosto sempre de estar perto da área para poder finalizar”, explicou o atleta, cujo vínculo com o Pequeno Gigante irá, inicialmente, até dezembro de 2020.

Ficha técnica

Rafinha

Posição: meia

Nome completo: Rafael de Souza Ferreira

Data de nascimento: 23/12/1988

Clubes: EC São Bernardo, Cruzeiro, Corinthians, Caxias, Santo André, Guaratinguetá, Juventus, Corinthians (AL), Olinda, América (SP), Misto, União Barbarense, Novo Hamburgo e Boca Raton (Estados Unidos)

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

Elenco do Azulão passa por testes para detecção da Covid-19

(27 de julho de 2020) – Visando a retomada das atividades presenciais, atletas, membros da comissão técnica e funcionários do São Caetano realizaram na tarde desta segunda-feira o processo de testagem para identificação da Covid-19.

Os testes PCR, disponibilizados pela Federação Paulista de Futebol, foram aplicados por profissionais do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, em espaço apropriado para tal no Anacleto Campanella.

Os resultados desses testes serão conhecidos em até 72 horas. Após isso, o elenco do Pequeno Gigante irá seguir o protocolo indicado pela Federação Paulista para retomada gradual dos treinamentos.

ELENCO

Em relação ao time que disputou o último jogo contra a Portuguesa Santista, pela Série A-2, deixaram o São Caetano os seguintes jogadores: Wanderson(lateral-esquerdo), Matheus Salustiano(zagueiro), Anderson Braz(volante), Madson (meia) e Bruno Moraes(atacante).

Enquanto Junior Alves(zagueiro) e Jean Dias(atacante) já tinham saído do Azulão pouco antes da paralisação do Campeonato Paulista.

 

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

SÉRIE A-2

(25 de julho de 2020)- Até a paralisação da Série A-2 do Campeonato Paulista, o Azulão realizou 12 jogos. Com 18 pontos conquistados, o Pequeno Gigante ocupa atualmente a sexta colocação na classificação geral.

Para o término da primeira fase da competição, ainda faltam três rodadas. Nessas partidas o time do ABC irá enfrentar São Bernardo, Votuporanguense e Audax em duelos que ainda não possuem data para acontecer.

Tanto o elenco quanto a comissão técnica do São Caetano irão realizar testes de Covid-19 na segunda-feira.

Foto: Fabrício Cortinove

RETORNO DEFINIDO

(24 de julho de 2020) – A Associação Desportiva São Caetano informa que, após a autorização do governo do Estado para início dos testes e treinamentos, irá retomar suas atividades presenciais a partir da próxima segunda-feira (27).

O novo protocolo foi autorizado pelo governo estadual na última quarta (22), e, com isso, foi agendada a reapresentação de atletas e comissão técnica para o início da próxima semana.

Quando serão realizados os testes de Covid-19, antes do retorno dos treinos visando a retomada da Série A2 do Campeonato Paulista.

CAMPANHA

Após 12 jogos disputados no Estadual o Pequeno Gigante está em sexto lugar na classificação geral, com 18 pontos conquistados. Além da participação na A-2, o São Caetano também está na Série D do Brasileiro, direito que garantiu ao vencer a Copa Paulista em 2019.

Foto: Fabrício Cortinove

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

HÁ 20 ANOS, AZULÃO ERA CAMPEÃO DA SÉRIE A-2

(23 de julho de 2020) – O São Caetano ganhou projeção mundial ao chegar na final da Copa João Havelange em 2000. Mas para alcançar tal feito, muito se deve ao desempenho alcançado no início daquela temporada, que teve o Pequeno Gigante como campeão da Série A-2 do Campeonato Paulista.

Conquista que completa 20 anos nesta quinta-feira e que iremos relembrar aqui.

COMPETIÇÃO

Em 2000, a segunda divisão do Campeonato Paulista teve uma fórmula de disputa totalmente atípica. Contando com duas fases, a Série A-2 permitiu que o campeão da primeira pudesse participar da elite naquele mesmo ano, enquanto o vencedor da segunda iria ingressar na Série A-1 somente na temporada seguinte.

Nessa primeira fase da competição, também conhecida como Torneio Relâmpago, por garantir o acesso ao vencedor com apenas 10 jogos realizados, o Pequeno Gigante não conseguiu engrenar. Após duas vitórias em seis partidas realizadas, o Azulão ficou de fora do mata-mata e teve que assistir ao acesso do Botafogo.

Então, por melhor desempenho na segunda etapa do campeonato, algumas mudanças foram necessárias para que o time do ABC pudesse evoluir.

O INÍCIO DA FASE DOURADA

Sem conseguir os resultados desejados, Roberval Davino deixou o comando caetanista. Para o seu lugar chegou Jair Picerni, nome responsável por proporcionar o período mais marcante da história do São Caetano.

Dono de famosos bordões à beira do gramado, como o inesquecível “pega-pega”, Picerni chegou ao Anacleto Campanella com a responsabilidade de oferecer uma cara vencedora para o São Caetano. Pois, mesmo contando com valores de talento no seu elenco, o clube vinha de temporada decepcionante.

“O Jair chegou em um momento em que a gente sentia por ter perdido o acesso na Série B (Campeonato Brasileiro) para o Santa Cruz. Chegou no meio do Campeonato Paulista, no lugar do Roberval Davino, com ideias novas. Ele teve o grupo na mão para trabalhar. Nós tínhamos as peças, mas a ordem tática e posicionamento foi ele que construiu daquela equipe. Foi realmente um comandante”, recordou o atacante Adhemar.

Agora sob o comando de Picerni, o São Caetano de Silvio Luiz, Japinha, Daniel, Serginho, Dininho, César, Magrão, Adãozinho, Claudecir, Leto, Esquerdinha, Adhemar e Zinho estava ainda mais forte para disputar o acesso.

Como cereja do bolo, ainda desembarcou no Anacleto Campanella um nome que traria muitas alegrias ao torcedor. Folclórico e irreverente, Túlio Maravilha chegou ao São Caetano com a missão de ser o artilheiro do time, e, não decepcionou, ao terminar o Estadual como o seu principal goleador, com 19 tentos anotados.

SHOW CAETANO

Apontado como um dos favoritos ao acesso, o Azulão literalmente atropelou os seus adversários na etapa classificatória dessa segunda fase da competição. Em 15 jogos realizados, o São Caetano venceu 12, empatou 2 e perdeu apenas 1.

Marcou incríveis 38 gols e sofreu 8. Isso sem contar as goleadas aplicadas no XV de Piracicaba (6 x 1), Etti Jundiaí (6 x 1), Olímpia (4 x 2) e Paraguaçuense (7 x 1), sendo que essa última é a vitória caetanista mais expressiva até os dias de hoje.

“O diferencial daquela equipe esteve nas escolhas bem feitas pela diretoria com relação aos atletas, além da união de todos. Dentro daquela coletividade, cada atleta conseguiu colaborar na sua função”, contou o goleiro Silvio Luiz.

“Nós éramos uma família. A gente chegava no treino às 13h. E ficava esperando o treino começar para lá das 15h, 15h30. Isso fez com que a gente criasse uma afinidade, uma alegria de estar dentro do clube. Não simplesmente chegar, treinar e ir embora. Depois, a gente ainda passeava no shopping, comia um lanche. As crianças estavam juntas, assim como as esposas. Se existiu no futebol uma família como o Felipão falava, a família Scolari, existiu também a família Azulão”, afirmou Adhemar.

MATA-MATA

Classificado após realizar campanha impecável, o São Caetano encarou o Comercial nas quartas de final. O Bafo, por sua vez, não teve chance e foi eliminando pelo conjunto azulino com duas derrotas (2 a 0 em Ribeirão Preto e 3 a 0 no Anacleto).

Já na semifinal o adversário foi o Juventus de Marcos Denner e do ainda atleta profissional Fábio Carille. Porém, nem mesmo o fato de atuar na temida Rua Javari, conseguiu segurar um embalado Azulão.

“Na minha opinião, o jogo mais importante foi o realizado na Rua Javari. Nós vencemos por 3 a 1.  Eu fiz dois gols e o Túlio fez um. Foi aí que eu fui me firmando como opção do Jair Picerni”, disse Adhemar.

Após consolidar classificação à decisão do campeonato com nova vitória (4 a 1) em cima do Moleque Travesso, o São Caetano teve o Etti Jundiaí (Paulista) como adversário na disputa do título.

Azulão e Gallo do Javi, que na época era patrocinado pela Parmalat, realizaram uma decisão digna de suas forças. No confronto de ida, disputado no Jayme Cintra, o Pequeno Gigante levou a melhor e conseguiu belo resultado ao vencer por 1 a 0.

“Tivemos muitos jogos inesquecíveis, cada um teve a sua importância. Mas, sem dúvida, o que mais marca é o que finaliza o feito. Neste caso foram os dois jogos com o Etti. Principalmente no realizado em Jundiaí, no qual o Túlio Maravilha fez o gol de bicicleta”, recordou Silvio Luiz.

Na partida de volta da final, realizada no dia 23 de julho de 2000, no Anacleto Campanella, o Azulão não pôde contar com Túlio. O artilheiro estava suspenso, pois havia sido expulso após comemorar o gol de placa marcado no Jayme Cintra.

A ausência da estrela, no entanto, não fez falta, e o time escalado inicialmente com Silvio Luiz, Japinha, Daniel, Dininho e César; Magrão, Claudecir, Leto e Esquerdinha; Zinho e Alex Rossi, segurou o empate em 0 a 0. O suficiente para garantir o acesso e o grito de ÉÉÉÉ CAMPEÃO!!

CAMPANHA

1ª FASE/TORNEIO RELÂMPAGO

22/jan                  Rio Preto            1X2       São Caetano

26/jan                  São Caetano      0X0       São Carlense

30/jan                  Botafogo            2X2        São Caetano

06/fev                  São Caetano      0X2       Botafogo

09/fev                  São Carlense     1X2       São Caetano

13/fev                  São Caetano      2X2       Rio Preto

SEGUNDA FASE

08/mar                São Caetano      6X1      XV de Piracicaba

12/mar                Comercial           0X2      São Caetano

19/mar                São Caetano      7X1      Paraguaçuense

26/mar                Santo André       0X0      São Caetano

02/abr                 São Caetano      2X0      Juventus

09/abr                 São Caetano      6X1      Etti Jundiaí

16/abr                 Mirassol              0X1     São Caetano

22/abr                 São Caetano      3X0      São José

30/abr                 América              1X1      São Caetano

07/mai                 São Caetano     1X0      Ituano

14/mai                 Francana           1X2      São Caetano

21/mai                 São Caetano     4X2      Olímpia

28/mai                 São Carlense    0X1      São Caetano

04/jun                  São Caetano    1X0      Rio Preto

11/jun                  Bragantino       1X0      São Caetano

QUARTAS DE FINAL

18/jun                  Comercial           0X2     São Caetano

25/jun                  São Caetano      3X0     Comercial

SEMIFINAIS

01/jul                   Juventus             1X3     São Caetano

08/jul                   São Caetano       4X1     Juventus

FINAIS

16/jul                   Etti Jundiaí          0X1        São Caetano

23/jul                   São Caetano      0X0        Etti Jundaí

 

Artilheiros: Tulio Maravilha (19); Zinho (10); Adhemar (6); Esquerdinha e Claudecir (4); César e

Alex Rossi (3); Leto, Magrão e Gilmar (2); Dininho e Serginho (1); gol contra 1

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove

 

CLUBE DOS 100

(22 de julho de 2020) – Em 30 anos de existência, apenas um seleto grupo formado por 36 jogadores alcançou ou superou a marca de 100 jogos realizados pelo São Caetano.

Confira quem são esses atletas, mas, antes, veja algumas curiosidades:

Líder dessa lista, Silvio Luiz foi titular em três títulos de campeão paulista, conquistados pelo Azulão, em diferentes divisões. Série A-3 em 1998; Série A-2 em 2000; e Série A-1 em 2004.

Terceiro colocado da lista e tendo a imagem ligada desde cedo ao Azulão, o goleiro Luiz não foi revelado em nossa base. Mas sim pelo Mirassol, clube para qual retornou nesta temporada.

Campeões tanto da Série A-2 em 2017 quanto da Copa Paulista em 2019, Esley e Sandoval são os representantes do atual elenco nesta lista.

Revelado na própria base do São Caetano, Magrão chegou a ser emprestado no início de carreira para o rival Santo André. Mais experiente, retornou ao Anacleto Campanella, onde participou das conquistas do Azulão nos anos de 1998 e 2000.

Silvio Luiz 451

Dininho 323

Luiz 319

Bruno Recife 277

Daniel 235

Thiago Martinelli 232

Serginho 232

Adhemar 187

Esley 179

Triguinho 171

Sandoval 163

Gustavo 161

Adãozinho 156

Somália 149

Moradei 141

Artur 141

Anaílson 134

Claudecir 133

Magrão volante 133

Marcinho 128

Marlon meia 124

Augusto Recife 122

Mineiro 115

Marcelo Batatais 115

Ferreira 110

Esquerdinha 107

Marcio Griggio 106

Tobi 104

Anderson Marques 103

Marcelo Mattos 102

Anderson Lima 101

Geovane 101

Diego 100

Kleber 100

Everton Ribeiro 100

Leto 100

*Números José Pires Maia

Assessoria de imprensa | Fabrício Cortinove