Marcinho, o nosso maestro no Paulistão de 2004

 

Relembre como foi a passagem do craque pelo Azulão

(19 de maio de 2020) – Artilheiro, habilidoso e ainda capaz de deixar os companheiros na cara do gol com passes açucarados. Essa é a imagem que o torcedor do São Caetano possui de Marcinho, craque que terá a sua trajetória pelo Anacleto Campanella recordada aqui hoje.

INÍCIO

Natural de Campinas, Marcinho iniciou a carreira no Paulista de Jundiaí. Revelado na mesma safra que apresentou para o futebol o meia Nenê, hoje no Fluminense, o futuro jogador azulino ganhou destaque e ajudou o Galo do Japi a vencer a Série C do Brasileiro e Série A-2 do Paulista.

Convocado para a seleção brasileira de base, chamou a atenção do Corinthians. No clube do Parque São Jorge teve rápida passagem, mas esteve presente no time que chegou à final do Brasileirão de 2002.

AUGE

Após deixar o Timão, Marcinho chegou ao Pequeno Gigante na temporada seguinte e, como atleta do São Caetano, vivenciou os melhores momentos da carreira. Como demonstrou logo no primeiro brasileiro disputado no novo clube, quando terminou a competição na artilharia azulina com 13 gols marcados.

Mas, foi em 2004, que o meia realmente brilhou ao liderar o Azulão no seu principal título: o Campeonato Paulista. Disputa em que foi novamente o goleador do time ao balançar as redes dos adversários em sete oportunidades.

Naquele estadual, o armador também teve atuações memoráveis vestindo o nosso manto. Exemplo está na goleada (4 a 0) diante do Santos, no segundo jogo da semifinal, quando marcou dois gols e ainda aplicou um drible espetacular em cima do volante Claiton.

Já na segunda partida da final contra o Paulista, clube que o revelou para o futebol, o armador foi importante  novamente. Na oportunidade o meia fez o primeiro gol da decisão, que seria vencida pelo time dirigido por Muricy Ramalho, por 2 a 0.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Atuando pelo São Caetano, Marcinho era certamente um dos principais nomes do futebol nacional na época. Com isso, o jogador foi convocado para a Seleção Brasileira em 2005.

O meia participou do amistoso vencido (3 a 0) pelo Brasil, contra a Guatemala. Em dia que ficou marcado como a despedida de Romário do time canarinho.

NÚMEROS

Marcinho se transferiu para o Palmeiras ainda em 2005, porém, sem antes ter deixado um legado em São Caetano do Sul. Vigésimo atleta que mais vezes vestiu o nosso manto, com 128 partidas, é também o segundo que mais marcou ao balançar as redes dos rivais em 45 oportunidades.

Já atuando no Anacleto Campanella, Marcinho é o principal goleador. Ao todo, o meia fez 26 gols no estádio.

 

Foto: José Patrício/Folha Imagem

Assessoria de imprensa: Fabrício Cortinove