PAPO DE CRAQUE: ALEXANDRE GALLO

(26 de junho de 2020) – Ele chegou ao Anacleto Campanella, durante a Série A-2, para comandar o São Caetano. Desde então, conseguiu destaque ao deixar o nosso Azulão na zona de classificação, até a paralisação do campeonato, e por aproveitar vários dos nossos pratas da casa.

Mas, antes de assumir as funções de técnico, teve uma trajetória de sucesso como atleta profissional. Famoso por exercer a sua liderança nos times em que atuou, sempre foi capitão.

Revelado pelo Tricolor de Ribeirão Preto, defendeu ao longo da carreira as camisas do Vitória, Santos, Portuguesa, Guarani, São Paulo, Botafogo (RJ), Atlético Mineiro e Corinthians.

Conquistou o paulista duas vezes (1998 e 2001), assim como o campeonato mineiro (1999 e 2000). Isso sem contar as campanhas inesquecíveis em que esteve presente no Peixe, Lusa e Galo, quando contribuiu para que esses clubes chegassem à final do brasileiro.

Já como treinador o sucesso se repete ao ter trabalhado em alguns dos principais times do país, além de ter tido experiências no Japão, Emirados Árabes e diferentes categorias da Seleção Brasileira.

Este é Alexandre Gallo, o entrevistado do PAPO DE CRAQUE desta sexta-feira.

São Caetano: Quem foi o seu maior ídolo no futebol?

Alexandre Gallo: Sócrates.

São Caetano: Quem foi o melhor jogador que você enfrentou como atleta?

Alexandre Gallo: Denner.

São Caetano: Qual foi o jogador que você mais admirou como técnico?

Alexandre Gallo: Robinho.

São Caetano: Quem foi o seu melhor amigo no futebol quando jogador?

Alexandre Gallo: Rodrigo Fabri.

São Caetano: Cite uma partida inesquecível na sua carreira como jogador?

Alexandre Gallo: Santos 5 x 2 Fluminense. Por tudo que envolvia. Por ter que fazer uma super virada na semifinal do brasileiro de 95. *

São Caetano: Um jogo inesquecível como treinador

Alexandre Gallo: Internacional 4 x 1 Pachuca (México), final da Recopa Sul-Americana(2007). Era a tríplice coroa do Inter, algo muito importante. **

São Caetano: Uma campanha marcante na sua carreira como treinador?

Alexandre Gallo: Campanha do Náutico em 2012. ***

São Caetano: O que você pode falar para o garoto que quer ser jogador de futebol, assim como você foi?

Alexandre Gallo:  Nunca desista.

São Caetano: Qual a avaliação que você faz dos primeiros meses de São Caetano?

Alexandre Gallo: Acho que a evolução técnica do time estava acontecendo, até o momento da parada. Agora será uma incógnita, mas vamos tentar repetir aquele mesmo momento.

São Caetano: O que você projeta para quando as competições forem retomadas?

Alexandre Gallo: Focar na parte técnica e tática para utilizar as cinco substituições.

*Alexandre Gallo era jogador do Santos, quando o Peixe reverteu a derrota (4 a 1) tida no primeiro jogo da semifinal, contra o Fluminense, para chegar à decisão do Campeonato Brasileiro.

** Alexandre Gallo dirigiu o Colorado na conquista do seu terceiro título internacional vencido de forma consecutiva. Em 2006, o clube gaúcho havia vencido a Libertadores e o Mundial sob o comando de Abel Braga.

*** Sob o comando de Alexandre Gallo, o Náutico teve a quarta melhor campanha como mandante no Brasileirão de 2012. Além disso, garantiu ao término dessa disputa a classificação à Copa Sul-Americana.

Sendo que o Timbu não disputava um torneio internacional há 44 anos.

Assessoria de imprensa: Fabrício Cortinove